Bárbara Fontes fecha Sessão Realizadores de MT com dois filmes

“Sayonara” e “Vila Bela: terra de colores” completam lista das 18 produções mato-grossenses que foram exibidas entre abril e maio no Cine Teatro

0
68
Bárbara Fontes filmando no pantanal

A “Sessão Realizadores de MT” chega ao fim nesta terça-feira (20.05). Quem encerra o ciclo é Bárbara Fontes. Serão exibidos dois documentários da cineasta: “Sayonara (2008, 20’)”; e “Vila Bela: terra de colores (2005, 55’)”. A sessão começa às 19h30 e a classificação indicativa é de dez anos. A entrada custa simbólicos R$ 4 (inteira) / R$ 2 (meia). Após as exibições, Bárbara vai conversar com o público.

Entre abril e maio, sempre às terças-feiras, a “Sessão Realizadores de MT” (contabilizando os dois filmes de Bárbara) exibiu 18 produções de diversos realizadores do estado (Luiz Marchetti; Eduardo Ferreira; Amauri Tangará & Tati Mendes; João Carlos Bertoli; Coletivo Audiovisual Negro Quariterê; e Coletivo Miraluz). A programação foi idealizada e mediada por Diego Baraldi e Aline Wendpap.

Luiz Marchetti (foto) também foi um dos realizadores que participou da mostra

“Sayonara”

A obra cinematográfica resgata as memórias da lendária casa de shows ‘Sayonara’, localizada no fundo do Bairro Boa Esperança, em Cuiabá. Em parte da antiga estrutura do ‘Sayonara’, funcionava até recentemente o bar “Casarão do Boa”. O documentário participou de Festivais, Mostras de Cinemas e de Sessões Especiais no Brasil e no exterior.


“Vila Bela: terra de colores”

Premiado pelo programa nacional de fomento ao Cinema Documentário, o DOCTV (2º Edição), o documentário conta quatro histórias que se entrelaçam sobre a primeira capital de Mato Grosso, Vila Bela da Santíssima Trindade – da sua idealização em Portugal até os dias atuais. A produção é resultado de anos de pesquisa histórica realizada em Mato Grosso, no Rio de Janeiro e acervos em Portugal.

Bárbara Fontes

Bárbara Fontes é jornalista, cineasta documentarista, roteirista, produtora, fotógrafa e poetisa. Em 25 anos de carreira, trabalhou em mais de 60 obras audiovisuais, seja como diretora, roteirista, produtora, co-produtora ou como consultora. Entre as principais estão “Arne Sucksdorff: uma vida documentando a vida”; “Canção Mato-Grossense (Hino de Mato Grosso)”.

Em 2017, dirigiu o vídeo-poema “A Mangueira”, que fez parte da exposição de arte “Natureza: Substantivo Feminino”. Atualmente trabalha na pré-produção (Pesquisa e elaboração do Roteiro Cinematográfico) do documentário “Pantaneiras” (as pesquisas se iniciaram em 1999) e na pesquisa histórica sobre as origens indígenas da sua bisavó, que pertenceu à etnia Puri, do Rio de Janeiro. Bárbara Fontes também é editora do blogdabarbarafontes.com.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here