Festival de Cinema Francês exibe comédia romântica e drama no Sesc

“Varilux” exibe duas produções nesta terça; Destaque para ‘Um Homem Fiel’, do prestigiado ator e promissor diretor Louis Garrel

0
47
Louis Garrel e Lily-Rose Depp em cena de 'Um Homem Fiel'

No quinto dia do Festival Varilux de Cinema Francês, o Sesc Arsenal exibe duas produções de 2018. O primeiro filmes a ser exibido nesta terça, às 18h, é ‘Um Homem Fiel’, de Louis Garrel. Pouco depois, às 20h, Através do Fogo”, Frédéric Tellier, toma conta da telona. A entrada para ambas as sessões é gratuita.

‘UM HOMEM FIEL’

A comédia romântica ‘Um Homem Fiel’ é o segundo filme dirigido por Louis Garrel, 35. Embora como diretor sua carreira ainda esteja no início, como ator já é um dos principais nomes da nova geração francesa, principalmente por protagonizar “Os Sonhadores (2003)”, de Bernardo Bertolucci, e “As Canções de Amor (2007), de Christophe Honoré. É importante pontuar que, além de dirigir, ele também atua neste filme, e inclusive contracena com a esposa, a atriz Laetitia Casta.

Na trama, Marianne (Casta) deixa Abel (Garrel) para ficar com Paul, melhor amigo de Abel e pai do futuro filho de Marianne. Oito anos depois, Paul morre. Abel e Marianne voltam a namorar, despertando sentimentos de ciúmes tanto no filho de Marianne, Joseph, quanto na irmã de Paul, Eva (Lily-Rose Depp), que secretamente ama Abel desde a infância.

“Entre o vaudeville e o drama à moda de Sautet, as referências a Hitchcock e Truffaut, o cineasta tricota fábulas, nas quais seus personagens sempre soam com justeza, entre charme e autoironia” avalia a crítica Emily Barnett.

ATRVÉS DO FOGO

O outro longa-metragem da noite é ‘Através do Fogo’, drama do cineasta Frédéric Tellier com classificação indicativa de 14 anos e que tem 1h56 de duração. No elenco se destacam nomes como Pierre Niney, Anaïs Demoustier e Chloé Stefani. 

A sinopse adianta que Franck é bombeiro de Paris. Ele salva pessoas, é feliz. Durante uma intervenção num incêndio, ele se sacrifica para salvar seus homens. Ao acordar num centro de tratamento de queimaduras graves, ele entende que seu rosto se derreteu nas chamas. Então, ele terá que reaprender a viver e aceitar a ser salvo.

“Mais do que uma homenagem aos bombeiros, o filme de Frédéric Tellier é o retrato comovente de um homem e de um casal em reconstrução”, analisa o crítico Christophe Narbonne.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here