Rede Cineclubista de MT exibe 36 filmes realizados no Estado

Durante 5 dias de programação, Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Chapada dos Guimarães, Cáceres, Barra do Garças, Pontes e Lacerda e Sinop receberão sessões

0
159
Trecho de 'A Oitava Cor Do Arco-Íris', de Amaury Tangará, que abre a Semana REC de Audiovisual

Entre 7 e 11 de maio (terça a sábado), 36 filmes realizados em Mato Grosso serão exibidos em diferentes cidades e espaços culturais do Estado através da Semana REC-MT de Audiovisual Mato-Grossense, realizada pela Rede Cineclubista de Mato Grosso (REC-MT). Após todas as sessões, serão propostas conversas entre espectadores, realizadores audiovisuais e coordenadores das ações cineclubistas. Confira a programação completa e classificação indicativa dos filmes nas redes sociais do Cineclube Coxiponés da UFMT (facebook.com/coxipones).

Os filmes serão distribuídos em 25 sessões organizadas em oito cidades de Mato Grosso (Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Chapada dos Guimarães, Cáceres, Barra do Garças, Pontes e Lacerda e Sinop), além de uma exibição na Serra de São Vicente. Durante a Semana também haverá o lançamento online do último episódio da websérie “D’LÁ”, no canal do YouTube do Coletivo Artístico Gay de Mato Grosso (CAGAY-MT).

FILMES DESTA TERÇA-FEIRA

Nesta terça-feira, abrindo a Semana REC, as exibições serão distribuídas entre o Cine Teatro Cuiabá (em sessões às 9h, 15h e 19h30, com presenças de Amauri Tangará e Tati Mendes); Escola Estadual Presidente Médici (em sessões às 9h30 e 15h30, com presenças de Ana de Mello e João Pedro Regis); Sala 11 do Campus Várzea Grande do IFMT (sessão às 13h30, com presenças de Luiz Marchetti e Caio Augusto); e Auditório M do Instituto de Linguagens/FCA da UFMT (sessão às 17h, com presença de Marithê Azevedo).

“A Oitava Cor do Arco-Íris – (Amauri Tangará, 2004, 80’)” será exibido em duas sessões, às 9h e às 15h, no Cine Teatro Cuiabá. Na trama, o menino Joãozinho vive na pequena vila de Nossa Senhora da Guia. Ele foi criado pela avó Dona Didinha, que o adotou depois que seu pai desapareceu num garimpo e sua mãe foi parar num bordel.

A Escola Estadual Presidente Médici também recebe sessões em dois horários, às 9h30 e às 15h30. Serão exibidos quatro curtas: Slam, rua e resistência (Ana de Mello & João Pedro Regis, 2018, 26’); A gente nasce só de mãe (Caru Roelis, 2017, 20’); Juba (Severino Neto e Rafael de Carvalho, 2017, 19’); Como ser racista em 10 passos (Isabela Ferreira, 2018, 13’).

Cartaz de ‘Como Ser Racista em 10 Passos’, de Isabela Ferreira

Às 11h, no Campus Várzea Grande do IFMT, “Palavras (João Manteufel, 2018, 26’)” e “Horário obrigatório da poesia (Luiz Marchetti, 2009, 8’)” serão os dois curtas exibidos. Após as sessões, além da conversa entre público e realizadores, o artista Caio Augusto Ribeiro apresenta uma performance.

Por fim, às 17h, no Auditório M do Instituto de Linguagens/FCA da UFMT, o curta “Licor de Pequi (Marithê Azevedo, 2016, 15’)” encerrará o primeiro dia da Semana REC-MT de Audiovisual Mato-Grossense. Após a sessão, Marithê, Ângela Fontana e membros do Coletivo Maria Taquara trocarão experiências com os presentes.

REC-MT

A REC-MT foi constituída na última Mostra de Audiovisual Universitário e Independente da América Latina (MAUAL 2018, realizada pelo Cineclube Coxiponés/UFMT), e congrega ativistas e instituições culturais de diferentes localidades de Mato Grosso que investem em atividades de difusão, debate/reflexão, pesquisa e realização audiovisual. As ações da Rede são independentes e sem vinculações com patrocínios, editais ou outros mecanismos de fomento.

“Na reunião que resultou na criação da REC-MT, na MAUAL 2018, a maioria dos presentes explicitou o desejo em ter acesso e fazer circular filmes realizados em Mato Grosso. Então o Cineclube Coxiponés propôs, como primeira ação de integração dos membros da Rede, a Semana de Audiovisual Mato-Grossense. Agora a ideia é que ao longo do ano outras ações sejam propostas e realizadas de forma integrada por outros membros da REC-MT”, ressalta Diego Baraldi, supervisor do Cineclube Coxiponés da UFMT.

Para que os filmes pudessem circular na Semana REC-MT de Audiovisual Mato-Grossense, vários realizadores foram consultados e aceitaram ceder os direitos de exibição de seus filmes em atividades promovidas pela Rede. A partir da adesão dos realizadores, a programação de cada local de exibição foi definida pelos coordenadores das ações cineclubistas que integraram o projeto da Semana.

COLABORADORES

Integram a Semana REC-MT de Audiovisual Mato-Grossense o Cineclube Coxiponés da UFMT, Cineclube Roncador e o Núcleo de Produção Digital do Campus Araguaia da UFMT (Barra do Garças), Cineclube Guaporé (Campus IFMT Pontes e Lacerda), CinePense (Seção de Cultura do Campus Sinop da UFMT), Cineclube Zumbis (UNEMAT Sinop), Cineclube Peskaria de Cinema (Cáceres), Cineclube Serra de São Vicente (Campus São Vicente do IFMT), Cineclube Quaarup (Chapada dos Guimarães), Cineclube IFMT Bela Vista/Curta BLV, Cine Teatro Cuiabá (através dos projetos A Escola vai ao Cine Teatro Cuiabá e Encontros com Cinema), CineSesc Arsenal, Sesc Rondonópolis, Campus Várzea Grande do IFMT (através do projeto Ocupação Literária). Também aderiram à Semana REC-MT de Audiovisual Mato-Grossense o Coletivo Artístico Gay de Mato Grosso (CAGAY-MT), a Escola Estadual Presidente Médici (Cuiabá), a Escola Regina Pacis (Sinop), a Biblioteca Pública Estevão de Mendonça (Palácio da Instrução/Cuiabá), o Museu da Imagem e do Som de Cuiabá, o Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea (ECCO/UFMT), o Coletivo Maria Taquara, a UNEMAT Cáceres, a Academia de Letras, Cultura e Artes do Centro Oeste (Barra do Garças), o IFMT Sinop, o Espaço Cultural Metade Cheio, os Festivais/Mostras Tudo sobre Mulheres, CineCaos, Mostra de Cinema Negro, MAUAL, CINEMATO e a Associação Mato-Grossense de Cinema e Audiovisual (MTCINE).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here