Vem aí a 12ª edição do projeto Ribeirinho Cidadão

0
71
Reprodução

Já estão a todo vapor os preparativos para a 12ª edição do projeto Ribeirinho Cidadão, que neste ano acontece a partir do dia 4 de fevereiro. O Ribeirinho Cidadão é realizado pelo Poder Judiciário de Mato Grosso, Defensoria Pública e demais parceiros. Leva cidadania a populações ribeirinhas, muitas delas isoladas e distantes do alcance de serviços públicos essenciais.

Entre os dias 4 e 14 de fevereiro os atendimentos serão concentrados na fase fluvial e, no período de 17 a 25 de fevereiro, será a vez da fase terrestre da iniciativa, que atende moradores da região pantaneira, tanto em áreas urbanas quanto em longínquas áreas rurais, com diversos serviços na área de justiça e cidadania.

Lançado em março de 2006, o Ribeirinho Cidadão atende comunidades isoladas de Santo Antônio de Leverger, Poconé, Barão de Melgaço e Juscimeira.

Foi há quase 13 anos que o Ribeirinho Cidadão deu início, por exemplo, à realização de casamentos civis, à época, a bordo do barco Scenarium. Antônio Amorim e Maria Soares, então com 40 e 34 anos, respectivamente, moradores da comunidade Estirão Comprido, formaram um dos três casais que receberam a certidão de casamento das mãos do presidente do Tribunal de Justiça à época, desembargador José Jurandir de Lima. Após 20 anos de união estável e com cinco filhos, o casal não tinha condições financeiras de arcar com os custos do casamento civil e, por isso, aproveitaram a gratuidade do atendimento ofertada pelo projeto.

 

Quem também conseguiu resolver sua demanda durante o Ribeirinho Cidadão, já em 2015, foi a moradora Gislaine Magalhães, também de Estirão Cumprido. Mãe de quatro filhos e com problemas mentais, ela não conseguiu se aposentar em razão das dificuldades em ir para a cidade, já que a família é extremamente carente. “Não temos condições de sair daqui. Em casa só tem eu, ela e as crianças, para ir pra cidade de barco é uma dificuldade. Sustentar as crianças não é fácil. Esse dinheiro que ela recebe é usado para comprar comida. Tudo foi resolvido durante o projeto, foi muito rápido. Isso melhorou a nossa vida”, explicou Maria Araújo, sogra de Gislaine.

 

Neste biênio (2019/2020), a função de coordenador do projeto estará novamente a cargo do juiz José Antônio Bezerra Filho, um verdadeiro entusiasta dessa iniciativa e defensor dos atendimentos feitos in loco aos ribeirinhos mato-grossenses, que todo ano esperam ansiosamente a chegada da comitiva para ter acesso aos serviços disponibilizados. “O Ribeirinho Cidadão é uma proposta de ideias, vontades e ações de pessoas do bem que querem fazer o bem. Temos que ter isso na alma, acreditar no dia a dia, querer se doar”, afirmou o magistrado.

Conforme o coordenador, o Poder Judiciário de Mato Grosso tem demonstrado proximidade com a sociedade, ao sair dos gabinetes para atender o cidadão em sua comunidade. “Hoje, em tempos modernos, de tanta cobrança, não se tem mais aquele Judiciário arcaico, da intocabilidade do magistrado. O magistrado tem que ser pró-ativo, sair, buscar soluções e não ter medo da sociedade. Temos que repensar valores, estamos em tempos diferentes e a sociedade clama por isso. É um modo de agir, de pensar diferente e fazer a diferença”, salientou.

Já foram confirmadas parcerias com diversas instituições, como o Governo do Estado, Ministério Público, Defesa Civil, Marinha, Receita Federal, prefeituras de Santo Antônio de Leverger, Barão de Melgaço, Juscimeira e Poconé, cartorários, Centro Universitário de Várzea Grande (Univag), Tribunal de Contas do Estado, Tribunal Regional do Trabalho, Tribunal Regional Eleitoral, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso, Sesc Pantanal e Galvan Escola de Cabelereiros.

Além de atendimento médico em diversas especialidades, serão ofertados serviços de cidadania em diversas searas, como casamentos sociais, assim como o trabalho de diversos órgãos do Judiciário, como a Corregedoria-Geral da Justiça, Comissão Estadual Judiciária de Adoção, Ouvidoria, Juizado Volante Ambiental, Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, Bem Viver, entre outros.

Assista AQUI ao vídeo produzido pela Coordenadoria de Comunicação na última edição do Ribeirinho Cidadão.

http://www.tjmt.jus.br/Videos/27/1

Fonte: Coordenadoria de Comunicação do TJMT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here