Estela faz ode à força da mulher em show que desvela a alma

‘Força mulher’ é o nome do espetáculo em que a arte se revela feminina através de músicas autorais, releituras clássicas, latinidades e poesia

0
60
"Essa ‘força mulher’ vem disso que urge", comenta Estela

A cantora, instrumentista, arranjadora e letrista Estela Ceregatti dá vazão à sua intensa pulsão de vida no novo show intitulado ‘Força Mulher’. A princípio, seria uma única apresentação, às 20h deste sábado (08.06), no Cine Teatro Cuiabá. No entanto, devido à grade procura por ingressos, haverá uma outra apresentação na sequência, às 21h30, para um novo público. A entrada custa R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia).

A apresentação conta com músicas autorais, releituras (Milton Nascimento, Violeta Parra, Tom Zé), poemas de Jade Rainho retirados do livro ‘Canção da Liberdade (interpretados pela própria poeta), além da participação especial da violinista Venezuela Yndira Villarroel, que acrescenta ainda mais camadas de latinidade ao repertório que já ostenta releituras de dois clássicos (‘Gracias a La Vida’ e ‘Canción com Todos’) da lendária cantora chilena Violeta Parra.

FORÇA MULHER

O elemento que dá unidade conceitual e que reúne todas as expressões artísticas do espetáculo num único tecido é a temática, que sugere, em suas diversas linguagens, uma constante presença feminina, ou melhor, uma força. “É um grito. Essa ‘força mulher’ vem disso que urge”, pontua Estela.
No repertório, essa ideia de mulher é o fio condutor, porém as questões abordadas não se referem a um tipo específico de mulher, mas do feminino como um todo, desde vivências íntimas relacionadas à maternidade até questões externas relacionadas a contextos políticos e estruturais da sociedade.

Estela acredita que é importante “trazer um olhar que acrescente nesse sentido de comunhão, de união e, primordialmente, de amor”. Afinal de contas, embora as mulheres tiveram/têm “várias possibilidades e perspectivas tolhidas na vida”, é da união feminina que brota “a força de transformação no mundo”.

Ela acrescenta que, por meio da música, tenta acessar “essa ancestralidade, essa força feminina que nos habita, e que reverbera nos nossos sonhos”, pois quando isso acontece é possível “revelar as nossas almas através da arte. Acho que isso é crucial pro mundo. E acho que a mulher tem um papel fundamental nessas transformações”, reforça Estela.

REPERTÓRIO

Foi preciso fazer uma minuciosa seleção de músicas para compor o conceito deste show. Algumas são de trabalhos solo ou com o grupo Monofoliar, como ‘Pedra’, ‘Amor e Gratidão’, ‘Amar o Amor Além dos Medos’ e ‘A Fé de Francisca’, esta última em homenagem à Vó Francisca, 105, como é conhecida a popular benzedeira de Chapada dos Guimarães. E há também a expectativa em torno de ‘Amor em Dias de Cólera’, música inédita que será apresentada ao público nesta apresentação.

Estela irá apresentar a inédita ‘Amor em Dias de Cólera’

Quanto às releituras, Estela faz questão de ressaltar que não são covers, pois, além da carga de sua interpretação vocal, possuem arranjos especiais compostos por Jhon Stuart (contrabaixo e piano). Além das já citadas ‘Gracias a La Vida’ e ‘Canción con Todos’, de Violeta Parra, também se destacam ‘Menina Amanhã de Manhã’, de Tom Zé, e ‘Maria Maria’, de Milton Nascimento.

PARTICIPAÇÕES

Acompanhando Estela e Jhon, os virtuosos músicos Bruno Avoglia (clarone e clarinete) e Manoel Neto (guitarra). Cabe reforçar as participações da poeta Jade Rainho e da violinista venezuelana Yndira Villarroel.

A cenografia, assinada pela artista plástica Daniela Monteiro, também promete ser um espetáculo à parte. Estela adianta que ela pintou “tudo à mão num trabalho incrível e autêntico”.

A iluminação também fica por conta de uma dupla talentosíssima. Foi concebida por Karina Figueiredo e será operada por Daniela Leite.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here