UFMT discute racismo e gordofobia sob a perspectiva da mulher

Palestra ‘Corpos Femininos Dissidentes: Racismo e Gordofobia na Sociedade do Ódio Imanente’ é gratuita e aberta à comunidade

0
113
Racismo e gordofobia têm sido, historicamente, motivo de desqualificações e privação de direitos universais

Casos de violência motivados pela discriminação e ódio pelas diferenças têm acontecido com cada vez mais frequência na sociedade brasileira. Por conta disso, visando refletir e elucidar questões sobre o assunto, a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) receberá a palestra compartilhada ‘Corpos Femininos Dissidentes: Racismo e Gordofobia na Sociedade do Ódio Imanente’. A atividade acontece nesta quinta-feira (11.04), a partir das 19h, no auditório do Departamento de Geografia. A atividade é gratuita e aberta à comunidade.

A temática será abordada pela filósofa e professora Maria Luiza Jimenez e pela jornalista Neusa Baptista Pinto. A ação conjunta objetiva o fomento do debate em torno de duas questões referentes às diferenças étnicas e estruturais: a cor e o corpo das mulheres.

São dois paradigmas que se encontram em muitos momentos e, quando se trata do universo feminino, têm sido, historicamente, motivo de desqualificações e privação de direitos universais.

E, no contexto atual, mesmo havendo mais espaços de discussão e grupos organizados para promover conhecimento e orientar os cidadãos, a experiência prática evidencia uma atmosfera de ódio imanente em torno da diversidade, especialmente contra as mulheres.

Não por acaso o racismo e a gordofobia têm se manifestado frequentemente na sociedade contemporânea, tanto em agressões verbais quanto físicas.

O evento é a segunda ação efetivada e faz parte das diversas propostas instrutivas e orientativas do projeto “Lute Como Uma Gorda!”, que serão realizadas ao longo de 2019. A palestre é promovida pelo projeto “Lute Com Uma Gorda!” e o Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso (Imune).

PALESTRANTES

Além de filósofa e professa, Maria Luiza Jimenez é feminista, ativista gorda, escritora, artista, colaboradora do site “TODASFRIDAS”, fundadora/criadora do ‘Grupo de Pesquisa Estudos Transdisciplinares do Corpo Gordo no Brasil’, Mestre e Doutoranda em Estudos de Cultura Contemporânea pela UFMT e idealizadora do projeto ‘Lute Como Uma Gorda!’.

Neusa Baptista Pinto é jornalista com experiência na área de assessoria de imprensa e Produção Cultural de Ações Educacionais, como foco na diversidade racial (Projeto Pixaim), mestre em Estudos de Cultura Contemporânea pela UFMT, membro do grupo de pesquisa Comunicação e Cidade – interfaces transdisciplinares (CITICOM/UFMT/CNPQ), autora de livros infanto-juvenis, que tratam da temática racial e integrante do Imune.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here